Poesía de frontera

20110821-maos.jpg

ONDAS
Quando o mar deixou de sȇ-lo
Barbulhando
De las olas del mar el silencio en mí
Puedo mirar
Elas indo e vindo

ALABA LOS OJOS NEGROS DE JULIA
Vejo profundamente
Dentro de sus ojos
O calor das suas mãos
Mirando la dolor
Upéicha rohecha che yvoty
Parā

MEU AMOR POR TI
Es mais bonito do que
Nada! O amor não é nada bonito
O amor é uma mentira!
Vivo uma mentira
Não quero mais Amar
Acho que ventarei
Amor, amor, amor
Cadȇ?

UNILA (Foz do Iguaçu), turmas de espanhol, 2011.

Puntuación: 5.00 / Votos: 4

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *


*